15 de abril de 2013

Capítulo 18 - Explicações (O Trato - Primeira Temporada)


Capitulo 18 - Explicações

#POV Edward

Só uma simples palavra descrevia como minha vida estava agora, e ela era... Inferno, minha vida estava um completo inferno, e não era só pelo fato de eu ter que agüentar a louca da Tânia, mas também porque essa loucura dela, estava me fazendo ficar longe da pessoa que eu amo, e quem é essa pessoa? Quem disse Bella acertou.
Sei que parece loucura, já que há pouco tempo agente se odiava, mas o que eu posso fazer? Aquela diaba em forma de gente conseguiu me conquistar, e o pior não é isso, é saber que, bom, é saber que ela não quer nada comigo, tá que se ela quisesse não adiantaria de nada também, só posso ficar com ela depois que consegui tirar a Tânia do meu pé.
E porque eu não consigo tirar a Tânia do meu pé? Simples, aquela vadia esta me ameaçando, bem não a mim, mas a Bella, o que me deixa com mais raiva ainda, se ela quisesse se meter comigo tudo bem, mas com a Bella? Que não tem nada a ver com essa história? Não eu não podia a deixar fazer isso, por isso ainda to com ela, mas é melhor deixar isso pra mais tarde, pois agora tenho que arruma uma festa.

E que festa? Bom a festa que a Alice estar armando pra Bella em comemoração a seu aniversario de 18 anos, é quase uma festa surpresa, a não ser pelo fato que a Bella descobriria sobre a festa uma hora antes, eu falei pra Alice que a Bella ia matar ela, mas quem disse que ela me escutou? Agora eu to aqui, em plena 03h00min da tarde arrumando os pufes pela sala.
- Alice pra que precisa disso? – perguntei apontando para os pufes.
- Porque sim né Edward? Vai que alguém queira sentar? – respondeu arrumando os copos no bar.
- Duvido muito! – falei comigo mesmo.
- Você acha que eu coloco bebidas aqui? Porque tipo, eu pedi pra eles trazerem bebida, então... – falou segurando umas garrafas de vodca.
- Com tanto que você não mexa nas bebidas de Esme... – respondi.
 A Esme estava viajando nesse final de semana junto com Carlisle, ela não sabia da festa, em outras palavras o aniversario da Bella seria tudo às escondidas.
- Alice onde eu coloco essas coisas – falou o Emmett com um pouco de falta de ar entrando na sala e trazendo junto umas varas, é eu acho que podíamos chamá-los assim.
- Espalhe pela sala, mas tarde vão vim uns caras para pregá-los no chão.
- Pregá-los no chão? Que diabos é isso? – perguntei.
- Postes de poli dance maninho – respondeu sorrindo.
- Poli dance? Você é louca Alice?
- Ah qual é Edward? Vai ser legal e super vai combinar com os garçons vestidos só de gravata borboleta e calça social.
- Como é que é? Eu não vou querer um bando de machos andando pela minha casa não Alice – se queixou Emmett, eu só fiz balançar a cabeça em concordância.
- Ah cale a boca Emmett – falou de mal humor.
- O que foi? – perguntou Jasper entrando na sala.
- Você sabia que a sua namorada contratou garçons vestidos só de gravata borboleta e calça social? – perguntei cruzando os braços.
- Como é que é Alice? – perguntou sério.
- E você também não enche Jasper - falou irritada.
- Mas Alice...
- Mas nada Jasper! Hoje é o aniversário da Bella, e tudo tem que sair perfeito, em outras palavras, se vai dá um ataque de ciúmes, que dei depois da festa – falou e saiu jogando seus cabelos curtos pra trás.
- Jamais irrite a Alice quando ela está organizando uma festa – avisei e todos concordaram.
O dia passou rápido, mas com muito trabalho, juro que não sentei a tarde toda. Alice estava mais estressada do que normalmente é, brigou com o pobre do Jasper não sei quantas vezes, teve uma hora que a briga foi tão séria que a mulherzinha do Jasper chorou, fazendo eu e o Emmett morre de rir.
Agora eu estava no meu quarto terminando de me vesti, mas ainda não pra festa, primeiro eu tinha que ir ao trabalho da chocolate pra avisar sobre a ela, eu falei pra Alice ir, mas acho que ela ficou com medo de que a Bella a matasse.
- Eu já vou Alice – avisei enquanto descia a escada.
- Tá, olha vê se fala com jeitinho tá? Pra vê se ela não fica com tanta raiva assim – respondeu meio nervosa.
- Vou tentar, mas você sabe que não vai adiantar de nada – falei já saindo de casa.
O trabalho da chocolate não era tão longe assim, cheguei lá em menos de 15 minutos. Quando entrei no restaurante ela tava atendendo um cliente, tinha que dizer que ela ficava muito engraçada com a roupa de garçonete, engraçada no sentido de dizer que não tinha nada a ver com ela.
Como ela não tinha me visto, fui me sentar em umas das mesas que estavam vagas. Esperei até que ela me visse o que não aconteceu, então o jeito foi ter que assobia pra pedir sua atenção, ela se virou na hora que escutou, e ficou estática quando me viu.
Mesmo depois de todo esse tempo, eu ainda não conseguia me acostumar com a sua beleza (mesmo naquela roupa horrorosa), Isabella era linda, só de olhá-la meu coração já disparava, o que era ridículo para um homem, mas o que eu podia fazer? Eu a amava.
- O que você tá fazendo aqui? – perguntou séria, mas ao mesmo tempo confusa.
- Preciso falar com você – respondi.
- Agora?
- É!
- Ah não dá Edward, eu to no meio do meu expediente – falou olhando pra trás, com certeza conferindo se alguém a estava vendo.
- É rápido, eu juro – falei me levantando, ela me olhou por um tempo, como se estivesse decidindo se me ouvia ou não.
- Me encontra lá fora – respondeu suspirando e indo pra cozinha.
Sai sorrindo do restaurante, afinal essa era a primeira vez que conversávamos desde a festa de casamento do Charlie com a Renné, naquele dia só pude conversa com ela direito durante a nossa dança, pois logo a Tânia veio me encher, e o imbecil daquele Jared não desgrudou dela. Juro que quis matar aquele idiota, como ele teve a ousadia de tocar nela? E o pior! Como ela deixou? Fiquei com tanta raiva naquele dia, que sai cedo da festa. Fui tirado dos meus pensamentos com alguém me cutucando.
- Vai fala o que você quer – falou rápida e cruzando os braços no peito.
- Nossa pra que tanto mau humor? – perguntei sorrindo. Eu adorava seu mau humor.
- Olha Edward eu não to pra brincadeira hoje ok? O restaurante tá cheio, e eu não tenho tempo de ficar jogando conversa fora – respondeu começando a ficar irritada.
- Ok relaxa! – falei levantando as mãos em rendição – Eu só queria falar que vai ter uma festa lá em casa hoje.
- Eu o que eu tenho a ver com isso? – perguntou com o cenho franzido.
- Bom a festa é pra você, então eu acho que tudo!
- COMO É QUE É? – gritou com os olhos arregalados.
- Alice fez uma festa de aniversário pra você – falei. Juro que esperava tudo dela, raiva, gritos, até socos, mas ao contrario ela riu, riu não, gargalhou.
- Tá me zuando né? – falou depois que parou de rir – Ela não pode ter feito isso.
- Mas fez!
- Ela é doida? Não doida não, ela é pirada – falou puxando os cabelos e andando de um lado pro outro.
- Ei calma – falei segurando seus braços, e a obrigando me olhar – Não é tão ruim assim Bella, Alice só queria comemorar o seu aniversário, você é a melhor amiga dela, talvez ela tenha feito isso, pra sei lá, mostrar o quanto você é importante pra ela... – falei e cheguei mais perto, meu nariz quase se encostando ao seu – Na verdade não só pra ela, mas pra todos nós.
- Você não entende né? – sussurrou – Não dá Edward, sabe que horas eu saio daqui? Meia noite, com que cabeça eu vou pra festa.
- Eu não sei... – admitir rindo – Só sei que você tem que ir, se não Alice mata você.
- Humm... – gemeu em desgosto – Tá.
- É assim que se fala – falei sorrindo e sem pensar lhe beijei. Meus lábios encostaram-se aos seus só por uns segundos, mas tenho que dizer que foram os melhores segundos da minha vida, não tinha palavras para descrever o quanto eu sentia sua falta, da sua boca, do seu sorriso, do seu corpo, eu a queria pra mim, de todas as formas, mas sabia que para o seu bem, o melhor que eu tinha a fazer era me afastar – Me desculpa – falei me separando, ela continuou parada, me encarando de boca aberta – Eu... É melhor eu ir, agente se ver na festa – falei me virando e indo em direção ao meu carro, com um sorriso nos lábios.
É! Eu ainda mexia com ela.
.................................*.................................
Já era 11h15min e eu estava terminado de me vestir. O encontro com a chocolate (apelido carinhoso que eu tinha dado a minha Bella) tinha me dado um novo animo, agora sim eu estava pronto pra encarar uma festa. Quando eu vi que tudo já estava no lugar, desci pra me encontrar com a galera.
http://2.bp.blogspot.com/_0r7FFBt46bk/Slyu2O-_l4I/AAAAAAAABSo/g6VMPHdKAvA/s320/robert-pattinson-morbius.jpg
- Nossa maninho, caprichou hein? – falou Alice se fingindo de pasma.
- Não finja surpresa Alice – falei me achando e rindo.
- Posso saber por que tanta alegria?
- Digamos que eu acabei de descobrir que nem tudo está perdido – falei sorrindo.
- Tenho certeza que a Bella tem a ver com isso, não é? – perguntou radiante.
- De certa maneira sim.
- Ai que bom Edward – falou vindo me abraçar – Espero realmente que vocês se entendam.
- Eu também Alice – falei suspirando.
Ficamos conversando mais um pouco, até que os convidados foram chegando. Em menos de meia hora a casa já tava lotada, de todo tipo de gente, até quem não tinha sido convidado.
Tinha avisado pra Alice que a Bella só chegaria depois da meia noite, então o papel de receber e ficar conversando com os convidados era nossa. Já era onze e quarenta quando meu celular tocou.
- Alô – falei saindo de casa, por causa do som alto.
- Posso saber onde você está Edward? – perguntou uma voz irritada.
- Eu estou em casa Tânia – falei suspirando e revirando os olhos.
- E o que você está fazendo ai? Você esqueceu que era você que iria me buscar aqui em casa?
- Eu ia? – perguntei confuso, afinal não me lembrava de ter combinado isso com ela.
- Edward Cullen é melhor você vim me buscar agora, se não você vai se arrepender – falou praticamente gritando antes de desligar o telefone na minha cara.
- A cada dia mais eu percebo que essa garota é doida – falei comigo mesmo antes de ir em direção ao meu carro e ir pegar a louca da Tânia.
Eu dirigia rápido pelas ruas escuras de Forks, pois quanto mais rápido eu chegasse à casa de Tânia mais rápido eu me veria longe dela. Quando cheguei lá, ela já me esperava na calçada, batendo o pé de tão irritada, o que não me importou nem um pouquinho.
- Por que demorou tanto? – perguntou batendo a porta do meu precioso carrinho com força.
- Ei vai com calma viu? Esse carro não é seu – falei com raiva ligando o carro.
- Vai me responder ou não? – perguntou com raiva.
- Eu não sabia que eu tinha que vim te buscar Tânia – expliquei tentando ficar calmo.
- Como não sabia? Eu pedi ontem.
- Desculpa se eu sou inteligente o suficiente pra não te escutar – falei ríspido dando uma curva.
- Arg! – só falou isso e depois virou a cara encarando o lado de fora.
Simplesmente dei de ombros, não me importava com ela, afinal a culpa era toda dela, ela era o único motivo de agente continuar juntos, porque se fosse por mim, nem olhava mais em sua cara.
Cheguei rápido em minha casa, já saindo do carro, sem esperar por Tânia. Quando entrei, vi que o numero de gente tinha multiplicado, mal dava pra si mexer sem esbarra em alguém. As pessoas no meio da pista dançavam tão juntas que era difícil diferenciar quem era quem, e sabe os garçons safados? Bom, esses estavam fazendo a festa com as garotas, de vez em quando eu via uns passar com marcas de batom no rosto, pescoço e corpo, foi quando eu vi isso que eu desistir de aprestar atenção.
Eu não conseguia encontrar ninguém conhecido, com conhecido quero dizer Alice, Jasper, Emm e Rose, com certeza deveriam esta se divertindo por ai e quando eu estava planejando ir procurá-los, alguém me cutuca.
- Posso saber por que não me esperou? – perguntou Tânia com as mãos na cintura.
- Por que eu te esperaria?
- Arg chega Edward eu não agüento mais! – praticamente gritou.
- Finalmente! Quer terminar? – perguntei esperançoso.
- Claro que não! – falou surpresa – Eu cansei de brigar, poxa Edward somos namorados e brigamos mais do que não sei o que.
- Brigamos porque você quer, porque se fosse por mim, agente nem se via – respondi com raiva.
- Ah para ok? – falou manhosa – Eu te amo, e só to fazendo isso pelo o seu bem – disse tentando me beijar, só que eu virei a cara, e continuo nessas tentativas bestas de tentar me beijar por um tempo, até que sussurrou no meu ouvido – A Bella ficaria muito triste se não fosse pra Londres né? – quando ela terminou de dizer isso fiquei sério e lhe encarei.
- Você não presta – falei antes de lhe beijar, se aquilo pudesse ser chamado de beijo, simplesmente esmagava minha boca contra a sua, sem enfiar a língua. Quando meu aperto já tava ficando forte de mais, ela se separou.
- TÁ LOUCO?! – gritou colocando a mão na boca – Era pra você me beija, e não me machucar.
- Desculpa, mas acho que você deveria ter especificado melhor – falei me fingindo de santo.
- ARG! – disse e saiu pisando duro por entre a festa, eu só fiz da de ombros.
Quando vi que ela já estava bem longe, me virei pra ver se encontrava alguém, foi aí que eu a vi, a razão dessa festa, linda como sempre, dançando sensualmente com um copo de bebida na mão.
Bella tava simples, com uma calça jeans colada, uma blusa preta soltinha e um salto alto preto, mas mesmo assim não deixava de ser perfeita, ela era de longe a mulher mais linda daquela festa.
 http://l.yimg.com/bt/api/res/1.2/5IhzL35rKS5mpx7xpSdMUA--/YXBwaWQ9eW5ld3M7cT04NTt3PTYzMA--/http://media.zenfs.com/289/2011/07/29/look-jeans-camiseta-Kristen-Stewart-02_213559.jpg
Sorri vendo que ela estava se divertindo com Ângela, parecia não está se importando com nada, há muito tempo não a via assim, tão livre, me machucava saber que o motivo dessa não liberdade era minha, que eu a fiz sofrer tanto.
Fiquei mais um tempo só vendo-a dançar, quando decidir ir lá falar com ela.
- Está linda – falei em seu ouvido, fazendo com que ela levasse um susto. Quando me viu logo ficou séria, o que me fez ficar confuso, já que no restaurante ela parecia tão mais... Como posso dizer? Tão mais amigável.
- O que você quer? – perguntou com os braços cruzados no peito.
- É acho que já deu a minha hora – falou Ângela tentando sair, mas Bella pegou antes seu braço, a forçando ficar.
- Não Ângela, você não precisa sair, o que quer que seja que o Edward veio me falar, não é segredo – falou sem olhar pra ela.
- Eu só vim lhe desejar feliz aniversário – falei agora sério também. Não tava gostando nem um pouco do jeito que ela tava falando comigo.
- Bom então deseje, pois eu tenho mais o que fazer do que ficar aqui conversando com você – sua resposta me pegou de surpresa, o que mais ela teria pra fazer?
- Fe... Feliz aniversário – falei.
- Obrigada – respondeu dando um sorriso falso – Agora se me dá licença, eu vou aproveitar a minha festa – disse e saiu rebocando Ângela.
- É, parece que ela não gostou nadinha de te ver – falou Emmett aparecendo do nada no meu lado.
- O que, que deu nela? – perguntei confuso.
- Até parece que você não sabe Edward – respondeu tomando um gole de sua bebida.
- Mas eu realmente não sei – respondi finalmente olhando-o.
- Ela viu você beijando a Tânia – respondeu suspirando.
- Claro! – falei me achando um idiota por não ter percebido antes.
- É sério cara, eu não entendo porque você ainda tá com a Tânia se você gosta da Bella... – começou – Se for pelo fato da Tânia ser gostosa, a Bella também é, claro que sem tanto peito quanto a Tânia.
- Cala a boca Emmett – falei lhe dando um tapa na cabeça.
- O que? – perguntou confuso, eu só fiz balançar a cabeça em negação e sair de perto dele.
A festa desenrolou-se tranquilamente, sem mais discussões. Não vi mais a Tânia depois da nossa briga, com certeza devia esta se divertindo por ai. A chocolate não queria olhar na minha cara, por isso o único jeito foi ficar longe, só observando-a.
Bella tava estranha, muito mais estranha do que normalmente, acabava com um copo de bebida em menos de 10 minutos, de longe já dava pra ver que ela tava alterada. Quando fui lá, falar pra ela parar de bebe, sabe o que ela fez? Bom fez o que mais gosta de fazer, me dá patada, ou na linguagem dela, me mandar pra puta que pariu. E eu não podia nem contar com a ajuda da Ângela ou da Alice, pois as duas estavam tão bêbadas quanto ela.
- Você devia fazer alguma coisa sabia? – falou o idiota do Jared ao meu lado.
- O que? – perguntei enquanto observava a Bella dançar sensualmente ao ritmo da música.
- Sei lá, mas tem que fazer... – falou também a observando – Ela está completamente bêbada.
- Eu já tentei, e o que ela fez? Me mando pra puta que pariu – respondi irritado finalmente olhando-o – E por que você não faz nada?
- Eu já fiz, mas infelizmente você sabe que o único que ela escutaria era você – quando ele disse isso, não pude deixar de sorri. Era legal saber que para ela, eu era melhor do que o imbecil ao meu lado – Não sorri não, essa história ainda não acabou, temos que fazer alguma coisa, ela pode fazer alguma coisa que se arrependa amanhã.
- Relaxa, a Bella não vai fazer nada, ela não é esse tipo de garota.
- Ta na cara que você nunca viu a Bella bêbada.
- O que você quer dizer com isso? – perguntei com o cenho franzido.
- Veja você mesmo – falou dando de ombros e apontando pra Bella, que de repente não estava mais dançando no meio da pista e sim lá com o DJ.
- O que essa doida vai fazer? – perguntei pra mim mesmo.
Ela falou alguma coisa pro DJ que sorriu a vê-la, ficaram conversando mais um pouco, até que ele concordou, ela saiu de lá sorrindo indo até uma bancada que tinha para os poli dances.
- Ela não vai fazer isso! – falei com raiva já esperando o que estava por vim.
- ESSA É PARA O MEU EX-NAMORADO – gritou, fazendo com que todos gritassem, foi nessa hora que a musica começou a tocar.
...*... Link Alternativo ...*...
Ela andou sensualmente até a ponta da bancada, e quando chegou lá, começou a requebrar me olhando, como se cada movimento fosse direcionado a mim.
Passava as mãos delicadas por todo o corpo, dando atenção especial aos seios e pernas. Seu gracioso quadril se movimentava de um lado para o outro. Seu bumbum subia e descia, de acordo com o movimento que ela fazia. Depois de um tempo só assim, voltou andando sensualmente até o poste, e foi ai que a coisa saiu do controle.
Ela pegava o poste com possessão, como se ele fosse seu, o que arrancava gritos dos marmanjos. Andou em volta dele por um tempo, até finalmente se pendurar, segurando com as duas mãos em cima, enquanto dava a volta e voltava se encaixando perfeitamente no poste, insinuando uma penetração. Seu rosto parecia transborda prazer, felicidade, e mais uma coisa que eu não sabia identificar.
Suas pernas enroscavam-se firmemente ao poste, enquanto ela subia nele. Quando chegou quase no topo, soltou as mãos, e escorregou pelo poste, com o copo inclinado pra trás, nos dando livre acesso ao seu rosto, que tinha um sorriso, que eu supus ser de vitória.
Jamais imaginei que ela soubesse dançar em um poste, e ainda mais, descer de um, mas era isso que eu gostava tanto nela, a capacidade de ela me surpreender cada vez mais.
Levantou-se rapidamente, e voltou a segurar no poste, e lentamente foi empinando o bumbum, o que fez mais gritos surgirem. Foi nessa hora que eu vi que tinha que intervir.
Sai empurrando todo mundo, já que parecei que todos tinham parado de fazer suas coisas, só para olhá-la. Quando finalmente cheguei onde ela estava, gritei seu nome, só que ou ela não me escutou, ou me ignorou mesmo, gritei mais uma vez, e ela finalmente se virou.
- O que é Edward? – perguntou arfando e suando, com um sorriso malicioso nos lábios.
- Desce daí agora Bella, você tá bêbada, vem desce – falei pegando seu braço, mas ela foi mais rápida, e puxou.
- Me deixa Edward, por que não vai atrás da sua namoradinha? Hein? – perguntou.
- Chega Isabella, você vai comigo agora – falei com raiva.
- Ah mais não vou mesmo – falou chegando mais perto de mim e parando bem perto de minha boca – Ainda tem a melhor parte.
Falou e saiu rebolando, parando de novo na frente do maldito poste. Virou-se para mim, sorrindo maliciosamente, mas o sorriso não chegava aos seus olhos.
- Isso é pra você perceber o que perdeu – disse e começou a rebolar, de olhos fechados, passando as mãos pelo corpo e cabelo, chegando à barra da camisa, e levantando lentamente.
Fazia um movimento lento, o que arrancava mais gritos. E quando eu menos vi, a blusa já tinha sido arrancada e estava sendo jogada pra galera.
Bella ficou andando de um lado para outro, só de sutiã, calça jeans e salto alto. No momento em que eu vi seu corpo seminu, a única coisa que eu pensei foi que aquilo era meu, e não um estande de exposições. Juro que enxerguei vermelho no momento em que um idiota tocou em sua barriga lisa e delicada, não pensei duas vezes e fui lá, já socando o cara e pegando Bella nos meus braços, coloquei-a no meu ombro e sai daquela festa.
- EDWARD CULLEN! ME SOLTA AGORA! – gritou me dando socos na costa. Socos tão fracos pelo fato de esta bêbada, que poderiam ter passado por plumas me acariciando.
- Fique quietinha Bella, que é melhor pra você – falei ainda com um pouco de raiva.
- AAAAAAHHHHH! SEU IMBECIL! QUEM VOCÊ ACHA QUE É? – continuava a espernear, e eu só ignorava.
- Edward Cullen, muito prazer – debochei.
- ME LARGA EDWARD, É SERIO! – gritou se debatendo.
Quando vi que já estávamos a uma distancia considerável da festa, perguntei-lhe.
- Se eu colocá-la no chão, você promete não voltar para aquela festa?
- Tá – respondeu bufando.
Sorri enquanto a colocava no chão delicadamente. No momento em que seus pés encostaram no chão e seus braços ficaram livres do meu aperto, ela começou de novo.
- SEU IMBECIL, IDIOTA, COMO VOCÊ OUSA? ME TIRAR DE LÁ... – falava enquanto batia em meu peito, me assustando tanto com essa sua atitude, que me fez cambalear um pouco pra trás.
- Calma Bella – falei tentando inutilmente pegar seus braços.
- CALMA? VOCÊ QUER QUE EU TENHA CALMA? DEPOIS DE VOCÊ ME TIRAR DA MINHA FESTA? AH SEU IDIOTA... – e voltou a me bater, dessa vez não me pegando desprevenido, o que me ajudou muito na hora de segurar seus braços.
- CHEGA BELLA – gritei, mas ela continuava a se debater, e no momento de desespero, acabei fazendo uma coisa que eu sabia que me deixaria em encrencas depois, em outras palavras a beijei.
...*... Link Alternativo ...*...
Seus lábios eram do sabor e da textura que eu lembrava, doces e suaves. Sua boca pequena se moldava perfeitamente a minha, como sempre. Minhas mãos, não soltaram seus braços, pois ela inda se debatia, mesmo que fracamente.
Quando finalmente minha língua tocou a sua, foi inevitável lutar contra. Suas mãos pararam de me bater e foram para meus cabelos, onde dava pequenas puxadas, me levando mais para junto de si. Essa ação era tão Bella, que eu jamais confundiria.
Minhas mãos foram para sua cintura, apertando-a possessivamente, mostrando que ela já era minha.
De repente senti uma coisa salgada se misturar ao nosso beijo, e só aí fui perceber que ela chorava.
- Bella... – sussurrei sem ar.
- Por que você faz isso comigo? – perguntou se afastando.
- Bella me escuta...
- Não, não eu não vou te escutar – disse limpando as lágrimas que ainda manchavam seu rosto de porcelana – Deus será que você não percebe que assim você só me machuca mais?
- Eu sei, mas talvez se você me escutar...
- Não, chega! Chega Edward, eu cansei de ser a garota que fica chorando por você, você fez a sua escolha, ótimo, mas você não tem o direito de achar que ainda tem algum domínio sobre mim, em outras palavras você não pode sair por ai me beijando, achando que temos alguma coisa, sendo que sua namorada é outra – falou tudo de uma vez, como se aquilo estivesse preso em sua garganta há muito tempo.
- Eu...
- Você nada... Pra mim já chega... – falou se afastando, mas logo voltando e me lançando um olhar raivoso – E o pior é você ser um idiota que não enxerga nem um palmo a frente de sua cara...
- Como?
- Por acaso você sabia que ela te trai? É meu amigo ela te trai, há muito tempo por sinal, então parabéns por você ser um trocha, pois sinceramente você merece tudo o que ela te dá, merece esse chifre na sua cabeça.
Não sei por que, mas não fiquei surpreso por saber disso, no fundo no fundo eu acho que eu sempre soube, afinal como uma mulher como Tânia conseguia ficar tanto tempo sem sexo? Com certeza não era com a ajuda de suas mãos.
Tava tão imerso nos meus pensamentos, que nem vi quando Bella começou a ir embora, só fui percebe quando seu corpo si impulsionou para frente e ela começou a vomitar violentamente.
Corri em sua direção já segurando seus cabelos no alto para ajudar. Ela vomitava tudo o que tinha bebido, como se estivesse fazendo uma desintoxicação. Quando parou de vomitar levantou o rosto. Estava mais branca que o normal, seus olhos lacrimejavam e ela parecia esta com um aspecto de cansada. Sem perguntar, tirei o meu casaco e coloquei em volta de seu corpo e a trouxe para meus braços, a levando para meu carro.
Não sabia onde estava seu carro e também não perguntei, só queria tira-la daquela maldita festa. Coloquei-a delicadamente no assento do carro e fui para o meu lugar.
Durante a viagem não falamos nada, seu corpo estava tombado para o outro lado e sua cabeça estava encostada no vidro, não me dando acesso ao seu rosto.
Cheguei rapidamente a sua casa, que estava totalmente escura. Quando fui tira-la de seu lugar, percebi que estava dormindo, fazendo um biquinho lindo, e parecendo inacreditavelmente com a menininha que eu conheci quando tinha sete anos. Sem acordá-la, a peguei no braço e levei-a até a casa. Sempre soube que tinha uma chave reserva debaixo do tapete, foi um pouco difícil pegar, pelo fato de estar com Bella no colo, mas não impossível.
Já lá dentro, foi um pouco difícil enxerga a escada, mas felizmente consegui encontrar o interruptor e acender a luz. Subi rapidamente até o seu quarto, que continuava da mesma maneira que eu lembrava, ao que parecia, durante esses meses, Bella não mudou nada de lugar.
Coloquei-a delicadamente na cama. Fiquei em duvida se deveria tirar sua calça jeans, para deixá-la mais confortável. No final meu lado racional perdeu, e eu tirei sua calça. Ela mesmo inconsciente, me ajudou a tirar, resmungando coisas incoerentes. Quando ela já estava praticamente desnuda, foi impossível não olhar seu corpo.
...*... Link Alternativo ...*...
O corpo que eu lembrava ser quente e macio. Delicado e doce. Isabella era realmente a encarnação da perfeição. Seu corpo com curvas perfeitas, seios não muito grandes, mas que cabiam perfeitamente em minhas mãos. Barriga lizinha, quadril largo e pernas grossas. Não sei como um dia eu pude ter sido capaz de chamá-la de feia. Bella jamais foi feia, ao contrario, era linda, não só pro fora como por dentro. Era marrenta, sim, muitas vezes me fazia perde a cabeça, mas era ao mesmo tempo, inacreditavelmente doce e delicada, era uma garota que ainda sofria pelo pai, mesmo não demonstrando, mas que se fazia de forte, só para não se passar por fraca. E eu simplesmente amava essa garota, mesmo a fazendo sofrer tanto.
Depois de admirar o seu corpo belo, fui até a beira da cama e me ajoelhei no chão, fazendo com que o meu rosto ficasse perto do seu.
- Eu sei que você não está me ouvindo... – sussurrei – Mas acho que dessa maneira é mais fácil conversa com você... – ri sem humor – Acho que essa é a única maneira de você me escutar.
Ela se mexeu um pouco, como se estivesse mesmo me escutando, mas sabia que não, uma coisa que Isabella conseguia fazer era dormi, e dormi como uma pedra. Aproximei-me mais, acariciando seu rosto.
- Eu sei que já pedi muito isso, mas não custa pedir de novo... Perdoe-me Bella, eu juro que jamais quis te machucar, se um dia eu imaginasse que esse maldito trato fosse fazer isso com você... Jamais o teria proposto... Eu sei que você não vai acreditar em mim... – ri de novo sem humor algum – Às vezes nem eu acredito, mas saiba que tudo que eu estou fazendo é por você, é para lhe dá uma chance de realmente realizar o seu sonho e que se não fosse por isso... Eu já estaria com você há muito tempo – terminei sorrindo no final.
Esse era o meu grande sonho, me ver junto com a Bella. Viver uma vida normal, poder beijá-la no momento em que eu quisesse, poder tocá-la, abraçá-la, fazê-la minha. Mas sabia que isso era impossível no momento, enquanto Tânia continuasse a ameaçá-la, eu não poderia ficar com ela. E quando eu pensei em Tânia, foi impossível não voltar no tempo, e lembrar no dia que ela começou com as suas ameaças...
Flash Back On
“– Louca, completamente louca, uma bipolar só pode... – entrei resmungando em casa e batendo a porta com força.
- Nossa posso saber o motivo de tanta raiva? – me perguntou Alice saindo da cozinha.
- Claro que pode Alice, na verdade o motivo tem nome e sobrenome... Isabella Swan – pronunciei o nome com raiva.
- Ai meu Deus o que aconteceu dessa vez? – perguntou preocupada.
- O que aconteceu? O que aconteceu? Aconteceu que sua amiga é uma completa maluca, e que me deixa doido – falei puxando os cabelos.
- O que ela fez?
- O que ela fez? O que ela fez? Ela não fez nada...
- Nada?
- É nada, e esse é o problema... – respirei fundo e continuei – Eu fui conversa com ela, como você tinha dito, me declarar pra ela, mas sabe o que ela fez?... Ela não fez nada, falou que o que agente teve não passou de um simples acordo.
- Ela disse isso? – perguntou incrédula.
- Disse, e agora vê se eu posso com isso? Eu vou lá, todo na boa intenção, pra me declarar pra ela... E o que ela faz? Me dá praticamente um pé na bunda – falei suspirando, e a doida da Alice em vez de me ajudar, riu – Isso não é engraçado Alice – falei mau humorado.
- Na verdade é sim... – falou tentando parar de rir – Ela conseguiu mesmo te amarra.
- Cala a boca – resmunguei, mas ao mesmo tempo sorrindo um pouco.
- Ok vamos falar sério agora – falou suspirando – O que realmente você disse a Bella?
- Eu perguntei o que a gente tinha.
- Fala sério você disse isso? – perguntou parecendo um pouco brava.
- Foi.
- Tá explicado porque a Bella te virou a cara.
- Como assim?
- Se toca Edward, Bella é uma garota e garotas gostam de ser únicas – explicou.
- Continuo sem entender.
- Você é lento hein?... Me diz... Você já tinha terminado com a Tânia quando foi falar com a Bella?
- Humm... Não, mas eu ia fazer isso logo depois.
- Tai viu?
- Mas Alice...
- Não tem mais Edward... A Bella pode ser um tanto cabeça dura, mas no fundo ela é uma garota doce, que já foi traída uma vez, que já se machucou por amor, você não acha que dessa vez ela vai querer se precaver?
- Então você tá dizendo que eu só vou conseguir ficar com a Bella quando eu me acerta com a Tânia? – perguntei sério.
- É! Enquanto a Tânia estiver no meio de vocês dois, vocês não ficaram juntos, pois nenhuma garota gosta de ser a outra... E bom, nesse caso quem é a outra é a Bella – falou indo pra porta, mas antes de sair se virou pra mim – Um amor de verdade só acontece uma vez Edward, e cabe a nós decidirmos vive-lo ou não.
Depois disso saiu me deixando sozinho no meio da sala e com os meus pensamentos.
Alice tava certa, eu jamais conseguiria ficar com a Bella, estando com a Tânia ao mesmo tempo, até porque isso seria errado, tanto com uma quanto com outra. Mas eu não sabia como resolver isso, sem machucar a Tânia, porque ela que me desculpe, mas eu não deixaria a Bella, e por esse motivo eu saí de casa e fui atrás de Tânia.
.............................*........................
Como eu esperava Tânia estava em sua casa esperando por mim, mal bati na porta e ela já veio me atender.
- Ed meu amor – falou manhosa tentando me beijar, só que eu virei à cara – O que foi?
- Precisamos conversa Tânia – falei sério e logo ela também ficou.
- Você tá certo precisamos.
- Tânia eu sinto muito, mas não da pra continuar, eu... Eu estou apaixonado por outra – falei logo.
- Com outra, você quer dizer aquela vadia da Bella né?
- Não a chame assim – falei com raiva.
- Por quê? É a verdade não é? Foi ela que fez você se distanciar de mim.
- Eu me distanciei porque eu não agüentava mais seus ataques de ciúmes... Eu e você nunca fomos parecidos Tânia, sempre com pensamentos diferentes, a Bella só veio pra eu enxerga isso – expliquei.
- Ah claro, pois a Bella é a grande salvadora não é? – debochou.
- CHEGA TÂNIA! – gritei exasperado – Eu só vim aqui lhe dizer que acabou tudo entre a gente tá? E espero que você leve numa boa isso.
- Eu jamais vou levar numa boa isso... Você é meu Edward, MEU!
- Chega! Eu pensei que você fosse mais madura que isso, mas ao que parece eu me enganei – falei já me virando para ir embora, mas o que ela falou em seguida me fez congelar.
- Como a Bella ficaria se não fosse para Londres?
- O que você quer dizer com isso? – perguntei me virando e encarando-a sério.
- Quero dizer que, sabe, alguém pode falar com uma certa pessoa e sei lá... Cancelar a bolsa de estudos da sua namoradinha – terminou sorrindo triunfantemente.
- Você não ousaria – falei com raiva e chegando mais perto dela.
- Prova pra ver! Termina comigo e eu vou fazer a vida da sua querida Isabella um inferno, começando com a preciosa faculdade dela.
- Você não tem esse poder.
- Esse é o lado bom de ter um pai tão influente... – falou e chegou mais perto de mim – É só eu estalar os dedos, e ele vai fazer tudo o que eu quiser.
Fiquei olhando para aquela vadia com ódio. Como ela teria coragem de fazer isso com a Bella? Com a minha Bella?
- Você me paga – falei com ódio e sai daquela casa o mais rápido possível.
Eu não sabia o que fazer? Se eu terminasse com a Tânia, ela faria a Bella perde a bolsa de estudos, mas se eu continuasse com ela, eu ficaria sem a Bella. Em todas as alternativas, tanto eu quanto a Bella sairíamos perdendo, mas eu preferia muito mais eu sofrer, a vê a Bella, por isso dei meia volta, e comecei o que seria o meu inferno pessoal.”
Flash Black Off
É por esse motivo que eu não estou com a Bella... É por esse motivo que eu não estou com a pessoa que eu amo... E é por esse motivo que eu estou sem minha vida.
E pior do que ficar sem ela, é vê-la sofrer, pois Bella pode até pensar que me engana, mas eu sei que ela sofre tanto quanto eu, com essa separação.
- Eu queria tanto que as coisas fossem tão mais fáceis – sussurrei e beijei seus cabelos castanhos – Que eu pudesse ficar com você, sem prejudicá-la. Que eu fosse forte o bastante pra lutar contra tudo e contra todos que tentam acabar com que agente tem – falei e ri um pouquinho – Ou o que agente deveria ter tido... – cheguei mais perto, quase tocando meus lábios nos seus e sussurrei – Eu te amo Isabella.
- Edward... – murmurou e eu fiquei estático, pensando que ela tinha acordado, mas não, ela continuava a dormi, e só estava fazendo o que sempre fazia quando estava dormindo profundamente, que era falar dormindo.
Ri baixinho, feliz por ela sonhar comigo, tá que eu sabia que ela sonhava comigo. Bom pelo menos na noite em que eu dormi aqui com ela, ela sussurrou meu nome, e mesmo que naquela época eu não soubesse que a amava, só o fato de ela sonhar comigo, já me fez ficar muito feliz, uma felicidade que naquela época eu não entedia.
Foi no meio de toda essa felicidade que eu me lembrei de seu presente.
- Não é grande coisa, pois eu sei que você não gosta de coisas extravagantes... – sussurrei pegando do meu bolso, um colar que eu tinha comprado especialmente pra ela – Quando eu vi, pensei logo em você... Vai combinar com suas tatuagens e bom, a frase... Eu não sei se pra você, mas pra mim tem grande significado.

Foi nessa hora que meu telefone vibrou, mostrando que tinha uma nova mensagem.

De: Tânia

Para: Edward

Cadê você?

Suspirei quando li a mensagem. Era tudo o que eu precisava agora, ter a Tânia me enchendo. Sabia que não dava mais pra protelar, pois se eu não fosse agora pra festa, a Tânia começaria a pensar coisas, coisas que só prejudicaria mais a Bella. Por isso levantei e fui rapidamente ao seu banheiro, pegar um remédio pra dor de cabeça e um copo de água e deixei no seu criado mudo, para ela tomar amanhã quando acordasse. Depois peguei um papel e deixei um recado, depositando-o também no criado mudo, para logo em cima colocar o seu colar.

Voltei a encará-la e delicadamente, com muito cuidado para não acordá-la, beije-lhe os seus lábios. Talvez essa fosse à última vez que eu faria isso. E depois saí de lá, deixando a garota que eu realmente amo pra trás.

#POV Bella
Acordei com a mesma claridade cinzenta de sempre no meu rosto. Minha cabeça parecia que ia explodir, estava tão tonta que nem consegui me sentar eu conseguia.
- Humm... – gemi colocando a mão na cabeça e olhando pro lado, aonde tinha um copo de água e um remédio. Sentei-me para tomá-lo. Enquanto tomava o remédio percebi que tinha uma coisa que não pertencia aquele quarto no criado mudo, quando peguei-o é que eu fui ver o que é – Que seja infinito – sussurrei a frase do colar – Mas o que...
Minha pergunta morreu no momento em que eu vi a carta, bem não era uma carta, mas um simples papel escrito com uma caligrafia que eu bem conhecia...
Feliz Aniversário
E.C
Edward. Claro que foi ele que me trouxe pra casa, afinal ele foi a ultima pessoa que eu me lembro de ver, na verdade ele é a única coisa que eu me lembro, pois o resto, nada, parece que minha cabeça tá cheia de vento, levando as imagens de um lado para o outro, não deixando eu me concentrar nelas.
- Deus o que eu fiz... – gemi deitando de novo.
E foi assim o resto do dia, só levantei pra tomar um banho e voltei pra cama. Minha cabeça só foi melhorar a noite, o único momento em que eu desci pra comer alguma coisa. Juro! Se você não quer uma ressaca daquelas, jamais beba além da conta, pois dor de cabeça por causa de ressaca é a pior dor que existe.
Além de passar o dia todo na cama, também passei o dia todo tentando lembrar o que eu tinha feito, mas nada me vinha à cabeça. Depois daquele primeiro copo de bebida, que eu tinha pegado da Ângela, não me lembro de mais nada, lembro só vagamente que conversava com Edward no meio da rua, mas nem lembrar do assunto eu lembro.
...................................*...............................
Graças a Deus a segunda feira chegou, e com ela problemas. Deus nem na segunda eu tenho sossego. Nesse exato momento eu tava fora da sala, conversando com a Alice. Já tínhamos entrado e deixado nossos matérias lá dentro, o professor ainda não tinha chegado, por isso era seguro conversa aqui fora.
- Alice relaxa tá? Você não fez nada de mais – tentei acalmá-la.
- Nada de mais Bella? Eu acordei quase nua na cama de outro cara, e esse cara não era o Jasper – choramingou.
- Você falou certo, quase nua, isso quer dizer que talvez você não tenha feito nada.
- Talvez não!... Não é para eu ter feito nada... – voltou a chorar – O Jasper é tão ciumento Bella, se ele descobrir, vai acabar tudo entre a gente.
- O pagode não vai descobrir – afirmei – Pelo o que você me disse, você saiu de lá antes que o cara te visse né? Então provavelmente ele devia tá tão bêbado, que nem se lembra do que aconteceu.
- Você tá certa – ficou repetindo, tentando convencer a si mesma, foi nessa hora que o professor chegou,mandando a gente entrar.
Já estávamos sentadas em nossos lugares, quando o diretor gorducho entrou na sala, acompanhado da lacraia oxigenada.
- Foi ela diretor, eu tenho certeza – falou com raiva apontando pra mim.
- Como é que é? – perguntei confusa.
- Foi ela que roubou meu colar diretor – continuou apontando pra mim.
- QUE? – gritei me levantando.
- Srta. Denali essa é uma acusação muito séria – falou o diretor Smith.
- Mas foi ela – continuou insistindo.
- Não fui eu não! Você deve tá ficando doida Tânia.
- Então prova que não foi você – falou colocando as mãos na cintura.
- Como?
- Abra sua mochila – falou sorrindo vitoriosamente.
- Eu abro mesmo, não tenho o que esconder... – falei me virando e abrindo minha mochila. Como não tava com paciência pra ficar puxando as coisas, simplesmente virei tudo em cima da mesa, e junto com o meu material e uma camiseta reserva, caiu um colar – Mas que merda é essa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário